quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Mais uma que acontece no Brasil!


Tudo bem que não é mais novidade, todos já sabem (supõe-se que pelo menos os mais interessados no assunto): o ENEM 2009 foi cancelado! (Nas palavras do Ministro da Educação, foi adiado.)

Então, "nada de novo no reino da Dinamarca!" O ditado não é bem assim, mas a sua versão original também cabe muito bem para a situação. Somos um povo doente e sem remédio? Creio que não, pois atitudes imorais como esta de prejudicar, miseravelmente, 4 milhões de pessoas de modo direto e por uma bagatela de 500 mil reais não traduzem o modo de ser da maioria da população. Mas como gostaria eu (e toda a imensa torcida do Flamengo) de ter esta bagatela em minhas mãos, mas não da maneira espúria noticiada nos jornais!

Mas esta foi uma jogada de carta marcada. Pela própria dimensão e abrangência que adquiriu o ENEM 2009, isto era, de certo modo, previsível. Mas mesmo assim, muito lamentável e reprovável.

No entanto, nem tudo está perdido! Para alguns candidatos esta é uma oportunidade de recuperar o tempo perdido, embora apenas uma pequena parte dele. Para outros, é uma oportunidade de não perder mais tempo. Para outros, talvez eu, será a perda do resto de tempo.

Todos perdem alguma coisa: os candidatos a uma vaga na universidade perdem a esperança e a paciência; os empresários do setor educacional e pré-vestibular perdem dinheiro, mas teem a chance de recuperar pelo menos um pouquinho dele com novas revisões; os professores perdem o tempo, mas também ganham alguma coisa, em especial a certeza (incerteza) de que trabalharam "direitinho"; o Brasil perde a oportunidade de se encontrar moralmente, mas também pode ganhar uma nova oportunidade caso seja esclarecida a situação; mas quem mais perde é a própria população, a sociedade, pois perde a esperança de ver um país mais sério, perde a credibilidade nas instituições sociais, perde o respeito pelos valores éticos e morais e, por fim, se perde em tanta sujeira que é a corrupção.

Como na letra da música: "... nem sempre ganhando, nem sempre perdendo, mas aprendendo a jogar." (Acho que é assim, perdi a lembrança da letra.)

Rogério Andrade

PS: A tempo há de se reconhecer a atitude do MEC em imediatamente decidir pelo cancelamento (adiamento) do ENEM 2009, mesmo provocando as perdas referidas e mais ainda, a publicação imediata das avaliações. Não se tentou colocar a sujeira para debaixo do tapete como de costume em nossa Re(s)pública.

Nenhum comentário:

Postar um comentário