domingo, 2 de fevereiro de 2014

Tratado sobre a tolerância (recortes) - Voltaire

"Sabe-se demais quais foram os custos desde que os cristãos começaram a  disputar por dogmas: correu sangue, seja nos cadafalsos, seja nas batalhas, desde o século quatorze até os dias de hoje." (p. 23)

"A filosofia, unicamente a filosofia, irmã da religião,  desarmou as mãos que a superstição havia ensaguentado por tanto tempo; e o espírito humano, ao despertar de sua embriaguez, assombrou-se ante os excessos a que o havia lançado o fanatismo". (p. 30)

"Quando não se busca magoar os corações,  todos os corações estão a nosso favor". (p. 30)

"O melhor método de diminuir o número de maníacos,  se é que existe, é o de deixar essa doença do espírito sob o controle da razão,  que esclarece aos homens lentamente, mas de maneira infalível". (p. 36)

"O direito da intolerância é,  portanto, absurdo e bárbaro,  é o direito dos tigres, sendo bem mais horrível também, porque os tigres dilaceram suas presas para comer, enquanto nós nos exterminamos por causa de alguns parágrafos". (p. 39)

"'Deorum offensae diis curae' (somente os deuses devem ocupar-se das ofensas feitas aos deuses)". (p. 43)

"Eu afirmo cheio de horror, mas com veracidade: somos nós,  os cristãos,  somos nós os perseguidores, os carrascos e os assassinos! De quem? De nossos irmãos". (p. 60)

"Quanto mais a religião cristã é divina, tanto menos pertence ao homem dirigi-la: se foi Deus que a fez, Deus a sustentará sem a nossa ajuda. Você sabe que a intolerância apenas produz hipócritas ou rebeldes: que alternativa funesta!" (p. 63)

"A Escritura nos ensina, portanto, que Deus não só tolerava todos os outros povos, mas que também lhes demonstrava cuidados paternais. E nós ousamos ser intolerantes!" (p. 75)

"Agora eu indago: é a tolerância ou a intolerância que provém do direito divino? Se quereis vos assemelhar a Jesus Cristo, sede mártires, e não carrascos". (p. 86)

"Um ateu polêmico, violento e robusto seria um flagelo tão funesto quanto um supersticioso sanguinário". (p. 103)

"Em qualquer lugar em que houver uma sociedade estabelecida, uma religião é  necessária; as leis reprimem os crimes conhecidos, enquanto a religião se encarrega dos crimes secretos". (p. 103)

"Não é preciso ter grande arte nem dispor de eloquência bem-elaborada para provar que os cristãos devem tolerar uns aos outros. Mas eu vou mais longe: eu lhes digo que é  necessário considerar todos os homens como nossos irmãos". (p. 109)






Nenhum comentário:

Postar um comentário