domingo, 31 de janeiro de 2010

Descobrindo a Filosofia - A experiência filosófica

A. O pensar e o pensar filosófico:
• A palavra filosofia: Philos e Sophia;
• As características da reflexão filosófica: radical, rigorosa e de conjunto;
• A utilidade da Filosofia

B. A consciência mítica:
• Características: é conhecimento (verdade); intuição compreensiva da realidade; desejo de afugentar o medo e a insegurança; de caráter sobrenatural, sagrado (divino).
• Funções: garantir a tradição e a sobrevivência do grupo; proporcionar um controle mágico sobre a natureza.
• Entre os gregos: transmitidos pelos poetas aedos e rapsodos (Homero e Hesíodo); descreviam a civilização Micênica; enalteciam a figura do herói, suas virtudes e sua relação com os deuses. Contavam a origem do mundo (cosmogonias) e dos deuses (teogonias).
• O mito hoje: permanece embora menos sacralizado.

C. O surgimento da filosofia:
• Superação dos mitos (Mythos) pela razão (Logos);
• Por volta dos séculos VII e VI a.C.;
• Mito e Filosofia - continuidade e ruptura:
 Pontos comuns: unidade universal, do caos inicial à ordem, conexão universal entre os seres, Lei Universal e dualismo.
 Diferenças:
Mito – narrativa do passado,
Filosofia – totalidade do tempo;
Mito – explicações cosmogônicas e teogônicas;
Filosofia – origem natural e impessoal;
Mito – contradição, fábula, crença – Fé, confiança e autoridade,
Filosofia – explicação lógica, coerência e força da razão.

D. Condições e estruturas da sociedade grega:
• A religião: liberdade religiosa (religião pública e privada), inexistência de dogmas e uma classe sacerdotal;
• A economia: sociedade rural – predomínio do pensamento mítico; comércio marítimo – urbanização; utilização da moeda como elemento de troca;
• A política: surgimento da Pólis e do cidadão, a lei escrita como expressão da vontade coletiva e o surgimento do espaço público de debate – Ágora.

E. Características da Filosofia Clássica grega:
• Tendência à racionalidade – o homem como animal racional;
• Recusa de explicações preestabelecidas;
• Tendência à argumentação e ao debate;
• Capacidade de generalização – síntese;
• Capacidade de diferenciação – análise.

Fonte:
ARANHA, Maria Lúcia de Arruda; MARTINS, Maria Helena Pires. Filosofando, introdução à Filosofia. 4ª ed. ver. São Paulo: Moderna, 2009.

CHAUI, Marilena. Convite à Filosofia. 13ª ed. 1ª impr. São Paulo: Ática, 2003

5 comentários:

  1. nao me ajudou em nada continue sem entender
    e sem resposta...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isto é apenas um esquema textual. Diga-me a sua dúvida que tentarei esclarecê-la.
      Grato.

      Excluir
  2. Isso é uma droga nao me ajudou em nada...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A mesma resposta ao comentário anterior: isto é um esquema textual, diga-me a tua dúvida que talvez possa te ajudar.

      Excluir
  3. Eu queria saber o que realmente é Experiência Filosófica? Eu já conheço o assunto, más não consigo defini-lo, gostaria de saber de uma forma compacta ou "direto ao ponto". Se o postador do Blog souber e puder me ajudar é só entrar em contato em tonierlenson@hotmail.com obrigado.

    ResponderExcluir